Consultório Cidade Baixa

Ordenação, silêncio, limpeza visual e aconchego foram algumas das demandas trazidas pelo cliente – um psicólogo – para a este projeto de reforma.

Na configuração original, os espaços de uso do consultório – bancada de trabalho, estar de atendimento e café – distribuíam-se com limites pouco claros, o que acarretava em um espaço desordenado. Esta sensação era acentuada pela característica e disposição dos móveis, escuros, muito variados em escala e desenho, sem alinhamentos precisos.

A proposta de reforma teve como foco a melhoria do espaço de permanência do profissional e seus pacientes, além de requalificar os espaços de banheiro e espera, que antecedem o consultório.

Para requalificar o consultório, buscou-se definir com clareza os três espaços de uso. A área de trabalho, para as atividades individuais do psicólogo, ficou posicionada junto à grande janela no fundo da sala, aproveitando iluminação e ventilação natural. A área de atendimento ao paciente, entendido como o uso mais importante, fica situada na porção central da sala. Junto à porta de acesso foi mantido um móvel de família, recuperado e situado de forma a auxiliar no isolamento acústico da sala.

Buscando flexibilidade de uso, a área do café foi deslocada para uma posição intermediária entre a área de espera e o consultório, com possibilidade de ser isolado conforme a conveniência. Esta área de café serviu também para garantir a condição de isolamento acústico necessária ao consultório, funcionando como um filtro. No centro deste volume foi inserida uma segunda porta, auxiliar a porta do consultório na função de vedação.

Os materiais escolhidos levaram em conta a solicitação do cliente por limpeza visual e aconchego. Para tanto, a cartela de materiais restringiu-se as cores claras nas paredes e móveis soltos e nas madeiras de tons médios (no piso e no painel). Para garantir a unidade/integridade do consultório – ainda que possua distintas situações de uso – utilizou-se um painel de madeira que desdobra-se em prateleiras junto à bancada de trabalho e que auxilia na criação de uma iluminação indireta junto às vigas. Este painel recebeu, no centro, uma chapa de vidro para que o psicólogo possa fazer explicações gráficas aos pacientes. O  piso de madeira, com desenho escama de peixe, transfere-se do plano horizontal para o plano vertical sob a bancada de trabalho.

Na sala de espera o painel de fundo do banco é também revisteiro. No lavabo utilizam-se poucos materiais e cores com o intuito de ampliar o espaço pequeno. O mármore da pia não se restringe ao balcão e vira uma moldura que contorna todo o nicho junto à janela. O piso e a parede são desdobramento do mesmo o ladrilho hidráulico azul floral, material artesanal com muita personalidade.

Fotos: Marcelo Donadussi Fotografia de Arquitetura

Fotografias quadros: Arq. Fernanda Antonio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s